Mídia Censurada

Realidade censurada, verdade oculta. E mais algumas curiosidades…

Arquivo para o mês “maio, 2012”

De noite era Maria, mas de dia era João…

Acusada de ridicularizar o “travesti”, a propaganda da Nova Schin foi retirada do ar após receber uma reclamação da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), que se sentiu ofendida com o comercial.

O filme, que supostamente ocorre durante uma festa de São João, chama atenção pela imagem de um travesti, que vira motivo de humor e piada.

E você? Acha que isso é um motivo de ofensa?

 

Anúncios

A mídia somos nozes…

É, de acordo com o meu professor Eric Messa, a mídia somos nozes. Em seu blog ele debate sobre o papel de nós, humanos, dentro da comunicação.

Ele diz que o homem está muito mais dependentes da rede digital para se manter informado do que as suas gerações e que as redes sociais, como Twitter, Orkut e Facebook tem sua grande e respectiva importância, tanto para conhecer pessoas, encontrar amigos e trocar informações, gostos e novidades.

Cada vez mais estas redes sociais vem surgindo, tornando mais eficaz e rápida uma “conversa”, se tornando mais interessante do que um e-mail, um sms ou até um celular.

Assim, os canais de massa não chamam tanto a nossa atenção como um usuário comum. Assim, Eric explica o nome “A mídia somos nozes…”, baseado no filme viral “As arveres somos nozes”, publicado no Youtube, com propagação espontânea pelos próprios usuários.

Assim, é possível ver que há diferentes formas de mídias, que falam com milhões de diferentes pessoas, sobre diversos assuntos…

” Um usuário comum da rede pode ser uma mídia. Ou seja, somos todos veículos de mídia para aqueles que estão ao nosso redor, fisicamente e virtualmente. E portanto, esse modelo não precisa ficar limitado ao ambiente digital.”, diz Eric.

 

Se voce quiser conferir o post de Eric: http://ecode.messa.com.br/2009/10/midia-somos-nozes.html

Campanha da FIAT deve ser modificada

O caso que o CONAR enfrentou desta vez envolve o uso da mesma frase como slogan em duas campanhas de carro. A Agência Fiat foi repreendido pela NeogamaBBH pela campanha do Novo Grand Siena.

A Neogama alegou que, duas semanas antes, havia lançado campanha para o modelo Fluence, da Renault, com o slogan “Ter um faz toda a diferença”. A campanha da Fiat, apresentada à imprensa em Santiago, no Chile, trazia slogan muito próximo: “Novo Grand Siena. Faz toda a diferença”.

No processo, a Agência Fiat apresentou documentos que comprovam que a campanha já estava prevista há um período maior – o que seria uma indicação de que não se trata de plágio. O órgão, ainda assim, optou pela alteração da campanha da Fiat.

Conteúdo na TV paga é assunto da campanha da SKY.

Agora quem foi condenada pelo Conar foi a SKY, que reclamou em sua campanha, no final de fevereiro, contra a nova lei da TV paga que determina cota mínima de conteúdo nacional na grade da TV paga no horário nobre. A decisão da retirada da campanha foi tomada por maioria de votos e baseou-se no argumento de que o comercial não se apresenta claramente como um informe publicitário.

O Conar avaliou, ainda, que a crítica à uma lei aprovada e em vigor fere o código de conduta do órgão, que determina que toda publicidade deve respeitar a legislação vigente do País.

A campanha da Sky para mídia impressa não foi afetada pela decisão.

Pacificar foi fácil, quero ver dominar!

 Foi sustada a campanha da marca de lingerie Duloren, veiculada na internet há alguns dias. A marca que ja vem distribuindo campanhas com tons mais agressivos, foi retirada do ar pelo CONAR por ser considerada racista, sexista e desrespeitosa à ação da polícia carioca nos morros do Rio de Janeiro.

A campanha mostra a depiladora Ana Paula da Conceição Soares, moradora da rocinha, usando lingerie com pose de confiança, enquanto um policial aparece ao fundo exausto.

O título da peça comprova o duplo sentido.

 

P&G desejando Feliz Dia das Mães!

Nesta emocionante campanha da P&G, a marca faz uma homenagem á todas as mães neste dia tão especial.

A ideia é de que atrás de qualquer sonho,  sempre existiu o empenho de uma mãe. Ela que te acordava cedo, te apoiava nos mais diferentes desafios, te suportava nas frustrações e que certamente se orgulhou com cada conquista que você foi tendo ao decorrer da vida. No comercial podemos ver que a marca faz total relação com os jogos olímpicos.

Na minha opinião, nada mais importante do que parabenizar todas as mães por todos os dias.. Não apenas hoje. Todos os dias elas são pessoas maravilhosas e únicas na vida de um filho e a P&G quer demonstrar através de pequenas atitudes que sem elas, não seriamos tão bons.

Retirei este post do blog http://comunicadores.info/, que todos os dias trás notícias e novidades dentro do mundo publicítario: uma ótima referência!!

Tim lidera ranking de punição

Durante o ano passado, as marcas de telefonia foram as campeãs de punição pelo CONAR. Os processos julgados pelo orgão em 2011, encontrou um maior número contrário à TIM, sendo 10 pedidos de alteração, vindo em seguida a Claro, que teve 3 campanhas sustadas e 5 alteradas e em terceiro lugar a Vivo, com 6 campanhas alteradas.

Porém, neste segmento, os processos contra as marcas de telefonia não vem do público ou do próprio Conar, e sim, dos concorrentes. Do total de 325 processos instaurados ano passado, 127 foram motivados por queixas do público, 97 por empresas que se sentiram lesadas, 89 pelo próprio Conar e 11 por denúncias de autoridades. A maioria (64%) das 366 representações julgadas terminou em punições, como alterações nas campanhas, sustações ou advertências aos anunciantes.

Comercial argentino causa crise diplomática

A campanha da Y&R Buenos Aires que mostra um atleta treinando para as Olimpíadas nas Ilhas Malvinas foi alvo de críticas no mundo da propaganda.

O comercial mostra o capitão de hockey argentino Fernando Zylberberg treinando para os Jogos Olímpicos de Londres, que ocorrerão no próximo mês de junho, dentro da área territorial das Ilhas Malvinas. O vídeo acaba com a legenda: “Para vencer em solo inglês, treinamos em solo argentino”.

Por trás do que se vê no comercial, que estreou neste dia 2 na TV argentina, há assuntos que não se costuma ver em publicidade: crise diplomática, missão secreta e memórias de uma guerra traumática.

Alguns veículos da imprensa argentina chegaram a levantar a possibilidade de que Zylberberg não soubesse da finalidade do spot e de que a filmagem ainda teria sido realizada em circunstâncias “clandestinas”. Porém, para filmar o atleta a agência e a produtora Fly Films se envolveram em uma missão secreta que levou sua equipe para as Malvinas e, por uma semana, não teve a movimentação notada pelas autoridades. A desculpa oficial é que o atleta participaria da Maratona Standard Chartered Stanley, ocorrida em 18 de março.

Mas frente às acusações, o responsável pela Fly Films garantiu que o comercial foi feito sob “circunstâncias transparentes” e com consentimento do ator. “Todos os envolvidos sabiam o que se filmava, incluindo o ator. Não pode dizer o contrário porque tenho o contrato assinado”, afirmou.

O governo britânico condenou o comercial por ser “insensível” e por “desvirtuar o espírito dos Jogos Olímpicos”, retirando a peça do ar.

Waze, o GPS Social.

Waze é um aplicativo para celular que fornece aos usuários informações sobre as rodovias, trânsito e até mesmo a localização de radares. Ou seja, é um GPS social, onde o usuário recebe a rota e as coordenadas do destino desejado. 

O software envia notificações sobre o trânsito para outros usuários automaticamente em tempo real, dependendo da velocidade com que você está se locomovendo. Assim, conforme a velocidade do seu automóvel diminui(o que caracteriza um congestionamento), o waze marca a via com uma linha vermelha, fazendo com que dessa maneira os usuários tenham conhecimento de que aquele caminho está com trânsito, podendo evitar a rota. Da mesma forma que você tem acesso as notificações em tempo real, você também pode enviar aos outros usuários as suas notificações, incluindo acidentes ou blitzes, podendo até compartilhar uma foto.

Quanto mais usuários utilizam o aplicativo, melhor ele fica. Todos podem fazer sua parte, adicionando novas vias ou apenas andando pela cidade com o aplicativo aberto. Para incentivar isso, o aplicativo possui um “joguinho”,  quanto mais kilometros rodados e contribuições efetuadas, você acumula pontos e conforme você vai dirigindo vão aparecendo “doces” pelo mapa, que ao serem coletados aumentam a sua pontuação e status.

Assim, o Waze faz o uso do Crowdsourcing, que na teoria é um modelo de criação e/ou produção, que conta com a mão-de-obra e conhecimento coletivos, para desenvolver soluções e criar produtos. Sendo assim, neste caso implica na participação ativa das pessoas através do celular, sobre as notícias recentes do que está acontecendo no trânsito. Os criadores do Waze criaram o aplicativo com o intuito de abrir um serviço gratuito, onde as informações são compartilhadas através dos usuários.

Os personagens de Ashton Kutcher gerando polêmica

A campanha de 1,5 milhão de dólares da empresa de snacks Popchips está sendo retirada do ar depois de acusações de racismo relacionadas a um dos personagens de Ashton.

No comercial, o ator parodia tipos de homens que supostamente frequentam sites de encontro. Entre os personagens que o ator interpreta, há um motoqueiro, um hippie, uma versao insipirada no estilista Karl Lagerfeld e um indiano, que causou o problema.

O ator fala com forte sotaque indiano e dança com roupas típicas do país. Mas um dos pontos que mais revoltaram os internautas em blogs e redes sociais foi o fato de Kutcher ter pintado o rosto de marrom para viver o personagem.

A principal reclamação dos usuários é que a PopChips e o ator retrataram os indianos de forma preconceituosa. O grupo de rap Das Racist postou uma mensagem no Twitter com o número do telefone de atendimento ao consumidor, incitando os seguidores a fazer reclamações diretamente à empresa até que ela retirasse o anúncio.

 

 

Navegação de Posts